domingo, 27 de novembro de 2011

Uma das mensagens mais lindas que já vi!!!



Meu amado dono, Minha vida deve durar entre 10 e 15 anos, já estou com alguns anos.Qualquer separação é muito dolorosa para nós. Não fique zangado por muito tempo e não me prenda em nenhum lugar como punição.

Você tem seu trabalho, seus amigos e suas diversões.
EU SÓ TENHO VOCÊ!
Fale comigo de vez em quando.Compreendo muito bem o seu tom de voz e sinto tudo o que você está dizendo. Ficará gravado em mim para sempre, jamais esquecerei.
Antes de me bater por algum motivo, lembre-se que tenho dentes que poderiam feri-lo seriamente, mas que jamais vou usá-los em você.Jamais!
Antes de me censurar por estar preguiçoso ou teimoso, veja antes se há alguma coisa me incomodando. Talvez eu não esteja me alimentando bem. Posso estar resfriado ou, ainda, meu coração pode estar ficando mais fraco…
Cuide de mim quando eu ficar velho e cansado – Por favor NÃO ME ABANDONE!
Tudo é mais fácil para mim com você ao meu lado.
Me ame, pois independente de qualquer razão, eu lhe amarei para sempre!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O que você precisa saber ao adotar um animal

O QUE VOCÊ PRECISA SABER AO ADOTAR UM ANIMALDicas de alimentação, saúde e esterilizaçãoANTES DE ADOTAR UM ANIMAL, TENHA CERTEZA DE QUE:
  • Sua casa ou apartamento tem espaço suficiente para a espécie escolhida;
  • Você está realmente disposto a cuidar dele por toda a vida. Cães e gatos chegam a viver de 10 a 20 anos;
  • Nas suas férias e períodos de ausência haverá pessoas para cuidar dele;
  • Toda a família está de acordo em receber o novo integrante;
  • Você está disposto a arcar com as despesas de um animal. Além de amor, alimentação e abrigo, ele vai precisar eventualmente de cuidados veterinários e remédios;
  • Ele é um ser vivo e sensível, não um produto que pode ser trocado ou jogado fora ao apresentar “problemas” ou tornar-se “obsoleto”;
  • Se você mora em apartamento ou numa casa com um pátio pequeno, analise se você terá tempo e disponibilidade para passear com ele. Animais necessitam de exercício físico com regularidade;
  • Ele não ficará sozinho em casa por longos períodos. Cães deixados presos latem, choram, ficam estressados e, com isso, acabam “aprontando” para se distrair.
CUIDADOS FUNDAMENTAIS PARA A SAÚDE DO SEU ANIMAL

Uma única vez: castre o animal. É um ato de compaixão que fará com que ele tenha uma vida mais saudável e fique com você muito mais tempo.

Diariamente: ração de boa qualidade (na medida indicada na embalagem), comida preparada especialmente para ele (veja abaixo) e água à vontade.

Muito importante: o seu animal não pode comer qualquer tipo de comida. O ideal seria que 50% de sua alimentação fosse composta de ração de qualidade e os outros 50% de uma combinação de carne, arroz e legumes (tudo preparado sem sal e gordura).

Nunca dê: chocolate, açúcar, tomate, feijão, batata. Estes alimentos causam danos sérios aos dentes e à saúde do animal.

COMO ESCOLHER UMA RAÇÃO DE QUALIDADE:

Prefira sempre r ações com um mínimo de 21% de proteína para adultos e 28% para filhotes.Tente evitar rações muito coloridas, por possuírem mais química (corantes). Observe que para cada idade existe uma ração e uma quantidade apropriadas. Veja indicação na embalagem ou pergunte para um veterinário de sua confiança.

Semanalmente: limpeza dos ouvidos e escovação (animais de pêlos longos exigem escovação diária ou a cada dois dias). Peça ao veterinário de sua confiança orientações para manter os ouvidos de seu animal sempre limpos e saudáveis.

Mensalmente:
  • O ideal seria que o seu animal tomasse banho e fosse tosado mensalmente. Banhos freqüentes removem a defesa natural da pele do animal e podem acentuar problemas de ouvido;
  • Se onde você mora existe uma grande infestação de carrapatos, você deve fazer um controle mensal dos mesmos, passando produtos apropriados em seu quintal e em seu cão/gato.O carrapato transmite doenças (também para humanos), que podem inclusive ser fatais ao animal, bastando a picada de um carrapato infectado.
A cada 3 meses: aplicação de remédios de pulgas. Pulgas transmitem um tipo de verme também para humanos e hoje já existem remédios para serem aplicados na nuca dos animais, que tem ação por 30 dias, em média.
Não esqueça: somente 5% das pulgas e carrapatos estão nos animais, os outros 95% estão no ambiente! É muito impor tante tratar também o ambiente onde estes vivem. A higiene é fundamental para a saúde de seu bichinho e de sua família.

ATENÇÃO! PULGAS TRANSMITEM VERMES. POR ISSO, É PRECISO ACABAR COM ELAS ANTES E DAR VERMÍFUGO DEPOIS.

Anualmente:
  • Tomar vermífugo a cada 4 ou 6 meses (escolher sempre os vermífugos ‘plus’ e dar a segunda dose 15 dias após a primeira);
  • Vacinas: POLIVALENTE (combate diversas doenças, inclusive algumas que são transmitidas por via aérea) e ANTI-RÁBICA. Exija sempre que a aplicação seja feita por um veterinário e que o mesmo cole o selo da vacina, carimbe e assine a carteira do animal.
LEVE SEU CÃO/GATO AO VETERINÁRIO SEMPRE QUE NOTAR:
  • apatia;
  • perda ou ganho excessivo de peso;
  • falta de apetite e de sede;
  • coceiras nas orelhas e balançar excessivo das mesmas;
  • alterações na pele e no pêlo e caroços;
  • vômito;
  • diarréia, principalmente com sangue;
  • demonstração de dor.
IMPORTANTE: A QUALQUER UM DESTES SINTOMAS, NÃO MEDIQUE SEU ANIMAL EM CASA. BUSQUE SEMPRE A ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE UM VETERINÁRIO.

SAIBA PORQUE A ESTERILIZAÇÃO EVITA O SOFRIMENTO DE TANTOS ANIMAIS

As ruas estão repletas de cães e gatos (fêmeas e machos) que, na sua grande maioria, foram abandonados à própria sorte por seus donos por serem fruto de ninhadas indesejadas. Muitos deles acabam atropelados, envenenados, maltratados ou tendo uma vida miserável até o final dos seus dias. Sem contar aqueles que fogem para cruzar e nunca mais conseguem voltar para casa.

POR QUE A ESTERILIZAÇÃO DOS ANIMAIS É IMPORTANTE?

A esterilização (ou castração) é uma solução emergencial para diminuir a procriação descontrolada e, conseqüentemente, a superpopulação de cães e gatos. Milhares de animais hoje vive m abandonados nas ruas, passando todo tipo de privação e sofrimento por causa deste descontrole reprodutivo. Esterilizar um animal é o maior exemplo de compaixão e consciência que você pode dar.

NÃO FIQUE NA DÚVIDA. SAIBA TUDO SOBRE A ESTERILIZAÇÃO:

O que é a esterilização?

A esterilização é uma cirurgia de rotina que consiste na remoção completa e indolor dos órgãos com funções exclusivamente reprodutoras.Nas fêmeas, acontece a retirada do útero e dos ovários, não ocorrendo mais o cio. Nos machos, é feita a retirada dos testículos, deixando-se a bolsa escrotal vazia.

A cirurgia de esterilização é dolorosa?

A cirurgia é realizada sob anestesia geral por um veterinário. O animal não sente nada durante o procedimento. A maioria regressa à sua atividade normal entre 24 e 72 horas. São fornecidos analgésicos para o período pós-operatório.

A cirurgia de esterilização é per igosa?

A esterilização é realizada sob anestesia geral,que é um procedimento que sempre envolve algum risco para qualquer animal. No entanto, a esterilização já é uma cirurgia de rotina, por tanto é segura sempre que realizada por um bom veterinário.

Esterilizar não sai caro?

Os preços podem variar, dependendo do veterinário ou do porte do animal. A cirurgia na fêmea é um pouco mais cara, por ser um procedimento mais delicado. Veja se em sua cidade a cirurgia não é oferecida pela prefeitura ou por entidades protetoras.

Lembre-se: se comparado aos gastos de repetidas idas ao veterinário para tratar de ferimentos por brigas ou atropelamento por vagar pelas ruas, ou despesas com doenças adquiridas na baixa de imunidade ocasionada no cio, ou ainda com os custos de uma ninhada indesejada que vai precisar de cuidados e alimentação, o investimento em esterilização é MÍNIMO. Mesmo a repetição da medicação antic oncepcional, a longo prazo, se torna mais caro do que a esterilização.

Será que o meu animal não é muito velho para ser esterilizado?

A menos que o seu animal tenha problemas de saúde, a esterilização é segura e um procedimento de rotina. No entanto, o veterinário deverá examiná-lo antes da cirurgia para determinar se existe algum problema de saúde. Os animais maduros também tiram proveito dos benefícios da esterilização.

VANTAGENS  DA  CASTRAÇÃO
O fato de que há uma superpopulação de animais domésticos perambulando pelas ruas é incontestável. Em qualquer lugar que andemos é notória a presença de cães e gatos sem lar.
Em busca de uma saída rápida para evitar danos à saúde pública, as autoridades  recorrem a uma solução equivocada: o sacrifício dos animais recolhidos das ruas. Às vezes, estes animais têm saúde plena, são mortos sem motivo pela falta de consciência, por parte do poder público, de que existem outros meios - menos sofridos e mais humanos - de prevenção. Essa prática arcaica dos Centros ou Departamentos de Controle de Zoonozes das cidades ignora os dados estatísticos que provam que o extermínio de cães e gatos não resolve o problema da superpopulação e não impede que outros nasçam.
Felinos se reproduzem de 3 em 3 meses, e o caninos de 6 em 6 meses.
Em seis anos, uma cadela e seus descendentes podem gerar cerca de 60.000 filhotes – estimativa que aumenta muito quando se trata de gatos.


Cães e gatos que vivem nas ruas são acometidos por doenças graves e fatais de suas espécies (que seriam evitadas pela vacinação adequada), passam fome e frio, sofrem ou causam atropelamentos e acidentes de carro.
Quando saem às ruas para "dar uma voltinha", estão sujeitos aos mesmos perigos. Há doenças de cães e gatos que não são evitadas pelas vacinas e são difíceis e onerosas de cuidar, quando não são fatais.
Portanto, o lugar de cães e gatos não é nas ruas; é dentro de nossas casas: guardados, amados, cuidados e protegidos dos perigos.
ANTICONCEPCIONAIS - Muitos donos utilizam anticoncepcionais em seu animal, acreditando ser um método mais barato e menos sofrido. Entretanto, mal sabem o perigo que estão trazendo a seu bichinho de estimação. Anticoncepcionais trazem efeitos colaterais muito fortes, e são os principais causadores do aparecimento de tumores e doenças como diabetes e infecção uterina.
A falta de informação e educação em "Tutela Responsável" sobre os benefícios da cirurgia mantém  os preconceitos sobre a castração, que é a única solução definitiva para o bem-estar de cães e gatos, machos e fêmeas.
CIRURGIA DE ESTERILIZAÇÃO EM CÃES E GATOS
PROCEDIMENTOS
BENEFÍCIOS
FÊMEAS
Retirada dos
ovários,
tubas uterinas
e útero
- evita infecção uterina (piometra - doença que atinge 60% das fêmeas)
- se realizado antes do primeiro cio, diminui em até
95% as chances de tumor de mama
- evita gravidez indesejada, fugas de casa, e outros incomodos com o cio (como a "miação nervosa" das gatas)
- evita o abandono de crias inteiras, quando indesejadas

MACHOS
Retirada
dos
testículos

- diminui muito o cheiro forte da urina dos gatos
- previne tumores de próstata, e consequentemente hérnias perineais
- evita que eles fujam de casa atrás de fêmeas no cio


- evita brigas por disputa territorial
- evita/diminui demarcação com urina em todos os lugares da casa
AMBOS
aumenta a expectativa de vida e diminui os riscos de doenças

- evita a "continuidade" de doenças hereditárias (tais como hérnias em geral, luxação de patela, displasia coxo-femoral...)-  cães que saem à rua: por não cruzarem, evita as
chances de adquirir TVT (tumor venéreo transmissível)



-
Quanto mais precocemente for feita a esterilização do animal, maior a garantia de todos os benefícios elencados no quadro. A cirurgia de castração pode e deve ser feita antes da idade adulta (antes do amadurecimento dos hormônios sexuais) - a partir dos três meses de idade.
Todos animais recebem anestesia anteriormente à operação, portanto não sentem qualquer tipo de dor. Os cuidados com o pré-operatório exige apenas algumas horas de jejum. Os cuidados com o pós-operatório são essenciais para o sucesso da cirurgia: deve-se dar os medicamentos prescritos pelo veterinário, além de seguir todos os passos indicados por ele.
Os benefícios da castração são muitos, entretanto ela ainda é um tabu na nossa sociedade. Urge que façamos o possível para divulgar tais benefícios e que tentemos conscientizar as autoridades de que a vida não é algo descartável, e que existem meios eficientes e humanos de preservá-la.

Seu cão sabe rir!!!!

Pesquisa confirma que os cães sabem rir!!!!!!!

Sons de risadas foram observados enquanto os animais brincavam com seus donos.


Risada de cães é contagiante e reduz o estresse de outros animais
Crédito: _-=Dreemreeper=-_
Muitos donos de totós já sabiam do fato, mas agora, o caso tem confirmação científica: cães podem dar risadas. Um dos primeiros estudiosos a defender a tese foi o ganhador do Prêmio Nobel de fisiologia de 1973, Konrad Lorenz. O cientista observou que quando convidava seus cachorros para brincar, eles abriam as mandíbulas, mostravam a língua e abriam a boca "quase de orelha a orelha". Tudo isso seguido de um som produzido pela respiração rápida que se assemelhava a "hah, huh hah".
Outra pesquisadora que reforça a tese de Lorenz é Patricia Simonet, da Sierra Nevada College. Sua pesquisa comprova os benefícios da risada de cães em animais de abrigos e foi divulgada durante a 7ª Conferência Internacional de Aprimoramento do Meio Ambiente. Para defender sua tese, a estudiosa gravou com sua equipe o som dos cachorros rindo enquanto brincavam em um parque e testou o efeito da gravação em 15 filhotes.
A mesma gravação também foi utilizada em animais que vivem em abrigos e o resultado foi imediato e contagiante em ambos os casos: os bichinhos se identificaram com a felicidade ouvida e automaticamente ficaram mais alegres. A longo prazo, os animais também deixaram de dar sinais de estresse, ansiedade e mau humor ao ouvirem as risadas de seus colegas de quatro patas.
O professor de psicologia Stanley Coren, parceiro de Patricia na pesquisa, também revelou suas conclusões sobre o estudo. O britânico testou o experimento com seus próprios cães. Quando eles ouviram sons semelhantes a “hah huh hah”, gravados anteriormente, o psicólogo percebeu que os cães levantaram imediatamente e passavam a abanar o rabo animados, ou se aproximavam dos donos.


Fonte: Petmag

Acidentes domésticos com Pets

Acidentes domésticos com Pets

Pets e acidentes domésticos

Veterinária explica quais são as principais causas de emergência envolvendo cães e gatos e como prevení-las

Na rotina veterinária, infelizmente é comum atendermos casos graves de acidentes domésticos, como quedas de escadas e móveis, escapadas (devido a um portão aberto ou durante o passeio) e até queda da janela. Há casos também de ingestão de produtos tóxicos, entre outros. Muitos chegam necessitando de atendimento imediato devido ao risco de vida.
No caso das quedas, os animais podem chegar com lesões externas, mas o mais preocupante são as lesões internas, ou seja, de órgãos internos, que podem passar desapercebidas pelo dono, além de fraturas de membros, costela, bacia, etc.
O tratamento inicial consiste em estabilizar o paciente, garantindo principalmente suas funções vitais, que são: respiração e circulação sanguínea. É importante ainda retirar ou minimizar a dor com uso de analgésicos e manter o pet em observação por no mínimo 24 horas para reavaliação constante, pois há o risco de alteração do quadro nas primeiras 72 horas pós trauma. O tempo de recuperação varia de acordo com a lesão e sua gravidade.
Para evitar acidentes deve-se manter cães e gatos longe de escadas, móveis altos, checar os portões, utilizar guia e coleira, telar as janelas de casas e apartamentos e também separar os cães que possam ser “briguentos”.
Há pouco tempo, precisei atender Josef, um lindo gatinho que chegou no Hospital, depois de ter caído do sexto andar do edificio onde mora. Ele estava com fraturas na face e intensa falta de ar. Após um cuidadoso exame clínico percebeu-se que os sons pulmonares não estavam normais e o raio-X revelou que havia líquido livre no tórax.
Por sorte, depois de feito o ultrassom, não houve nenhuma alteração nos órgãos abdominais, mas foi preciso realizar a drenagem do líquido acumulado no tórax. Foi feito ainda um tratamento com oxigenoterapia controlada e monitoração minusciosa por 48 horas. Só então foi possível corrigir as fraturas na face do bichano cirurgicamente.
Após a consolidação da fratura, Josef pôde voltar para casa e se recupera muito bem. Com o susto, as sete janelas do apartamento foram teladas para evitar novos acidentes como este.

  • sobre o autor
  • Dra. Fernanda Fragata Dra. Fernanda Fragata É diretora do Hospital Veterinário Sena Madureira. A médica veterinária é formada pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia FMVZ- USP e mestre pelo setor de cirurgia/ anestesiologia da FMVZ-USP. Atualmente também é responsável pelos setores de anestesiologia, controle da dor e terapia intensiva do HVSM

  • Fonte: Petmag

Dicas para encontrar seu cão



Saiba o que fazer ao perder um animal de estimação

11 de novembro de 2010


A tristeza ao perder um animal de estimação é enorme. Infelizmente, em uma cidade cheia de estímulos como São Paulo, não é raro que animais escapem por medo de barulhos, curiosidade pelo movimento na rua ou um breve descuido dos tutores. Marco Ciampi, presidente da Associação Humanitária de Proteção e Bem-estar Animal – Arca Brasil, estima que na cidade existam 200 mil cães em estado de abandono ou sem um lar de referência. “O animal que está na rua geralmente não nasceu ali. Ele tinha um lar, e por algum motivo de negligência, como fuga ou abandono, foi para a rua”, diz Marco. Por isso, a Arca Brasil costuma orientar as pessoas que procuram a ONG a fornecerem um lar transitório para estes animais, até que eles encontrem seus tutores antigos, ou uma nova família.
No entanto, é difícil contar com a possibilidade de seu animal ser imediatamente acolhido. Provavelmente ele ficará na rua, sujeito a perigos e acidentes. Assim, as primeiras 24 horas após a fuga são essenciais. Como o ente perdido é um animal, provavelmente ele não tomou um ônibus, taxi ou metrô, e estará em uma distância percorrida com as próprias patas. Assim, não perca tempo chorando de desespero. A primeira medida é ligar pro Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo, o CCZ, que recolhe animais abandonados, e informar a perda do animal. O telefone é (11)3397-8900 / 8901. Reúna então uma equipe de resgate formada por amigos ou familiares e percorra toda a região onde o animal escapou, chamando pelo seu nome. Pergunte para comerciantes, vizinhos e transeuntes se eles não viram o cão ou gato. Mostrar uma foto pode ajudar.

O passo seguinte é criar cartazes. A mensagem deve ser clara e a foto boa, para que as pessoas entendam o recado apenas ao bater os olhos no papel. Use letras grandes e escreva “perdido”ou “procura-se”no topo do cartaz, seguido por uma foto, a descrição do animal e o local em que ele foi visto pela última vez. Algumas pessoas optam também por oferecer uma recompensa, enquanto outros utilizam o clássico “criança doente”. Com as cópias do cartaz em mãos, cole nos postes da vizinhança, deixe nas caixas de correio das casas e prédios e também em locais de grande movimento, como o mercado do bairro. Procurar as clínicas veterinárias e pet shops da região também é fundamental, pois uma boa alma pode ter encontrado o seu melhor amigo e levado para algum destes lugares.
Mas os cartazes não são a única saída. “Quando perdi meu pastor alemão em 2002, pensei que deveria haver um complemento ou mesmo substituto para as faixas e cartazes”, conta o administrador Fabio Motta. Embora o cão tenha sido encontrado no dia seguinte, a ideia permaneceu na cabeça de Fabio, e em pouco tempo, ele criou o site www.cachorroperdido.com.br. Lá, tutores aflitos podem publicar fotos e descrições de seus cães perdidos, e o mesmo acontece para quem encontrou um animal. Se um cão com as mesmas características for registrado como perdido e encontrado por pessoas diferentes, elas recebem um email para que verifiquem se não se trata do mesmo animal. “O site tem quase oito anos, é gratuito e sempre será. Para mim, isso é um hobby e não me dá muito trabalho pois o funcionamento do Cachorro Perdido é dinâmico, e precisa de pouca moderação”, diz Fábio, que frequentemente recebe emails de agradecimento de pessoas que encontraram seus animais com a ferramenta.
A internet já proporcionou muitos finais felizes. Um dos mais famosos ocorreu no ano passado, quando uma publicitária encontrou um cãozinho e decidiu criar o site Cara, cadê meu dono? para tentar localizar o antigo lar do animal. O texto engraçado, escrito como se fosse pelo cachorro, acabou se transformando em um sucesso de público Em pouco tempo, virou manchete em portais e os donos do animal perdido foram encontrados.
Não é preciso saber criar um site para tentar o mesmo final feliz. Correntes de e-mail, pedidos em redes sociais como o Orkut, o Facebook e o Twitter e em sites de clínicas veterinárias com a seção “achados e perdidos” podem render bons resultados.
Fonte: Anda